Treinamento de Caminhada Melhora a Variabilidade da Pressão Arterial Ambulatorial em Claudicantes

Chehuen, Marcel da Rocha, Cucato, Gabriel, Carvalho, Celso Ricardo Fernandes de, Zerati, Antonio Eduardo, Leicht, Anthony, Wolosker, Nelson, Ritti-Dias, Raphael Mendes and Forjaz, Claudia Lucia de Moraes (2021) Treinamento de Caminhada Melhora a Variabilidade da Pressão Arterial Ambulatorial em Claudicantes. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 116 (5). pp. 898-905. ISSN 0066-782X

[img]
Preview
Text
0066-782X-abc-116-05-0898.pdf - Published Version
Available under License Creative Commons Attribution 4.0.

Download (319kB) | Preview
Official URL: https://doi.org/10.36660/abc.20190822

Abstract

Fundamento:O treinamento de caminhada (TC) melhora a capacidade de caminhar e reduz a pressão arterial (PA) clínica em pacientes com doença arterial periférica (DAP), mas seus efeitos na PA ambulatorial permanecem desconhecidos.Objetivo:Investigar o efeito de 12 semanas de TC na PA ambulatorial e sua variabilidade em pacientes com DAP.Métodos:Trinta e cinco pacientes do sexo masculino com DAP e sintomas de claudicação foram alocados aleatoriamente em dois grupos: controle (n = 16, 30 min de alongamento) e TC (n = 19, 15 séries de 2 minutos de caminhada na frequência cardíaca em que ocorreu limiar de dor intercalados por 2 minutos de repouso em pé). Antes e depois de 12 semanas, a PA ambulatorial de 24 horas foi avaliada. Os índices de variabilidade da PA ambulatorial avaliados em ambos os momentos incluíram o desvio-padrão de 24 horas (DP24), o desvio-padrão ponderado de vigília e sono (DPvs) e a variabilidade real média de 24 horas (VRM24). Os dados foram analisados por ANOVAs mistas de dois fatores, considerando significativo P<0,05.Resultados:Após 12 semanas, nenhum dos grupos apresentou alterações na PA de 24 horas, vigília e sono. O TC diminuiu as variabilidades da PA sistólica e média (PA sistólica – 13,3 ± 2,8 vs 11,8 ± 2,3; 12,1 ± 2,84 vs 10,7 ± 2,5; e 9,4 ± 2,3 vs 8,8 ± 2,2 mmHg; PA média – 11,0 ± 1,7 vs 10,4 ± 1,9; 10,1 ± 1,6 vs 9,1 ± 1,7; e 8,0 ± 1,7 vs 7,2 ± 1,5 mmHg para DP24, DPvs e VRM24, respectivamente). Nenhum dos grupos apresentou mudanças significantesnos índices de variabilidade da PA diastólica após 12 semanas.Conclusões:O TC não altera os níveis ambulatoriais da PA, mas diminui a sua variabilidade em pacientes com DAP. Essa melhora pode ter um impacto favorável no risco cardiovascular de pacientes com DAP sintomática. (Arq Bras Cardiol. 2021; 116(5):898-905)

Item Type: Article
Uncontrolled Keywords: Treinamento Aeróbico, Fraqueza Muscular, Monitoração Ambulatorial da Pressão Arterial, Pressão Arterial, Caminhada, Claudicação Intermitente
Subjects: B100 Anatomy, Physiology and Pathology
C600 Sports Science
Department: Faculties > Health and Life Sciences > Sport, Exercise and Rehabilitation
Depositing User: Rachel Branson
Date Deposited: 03 Jun 2021 10:18
Last Modified: 03 Jun 2021 10:30
URI: http://nrl.northumbria.ac.uk/id/eprint/46334

Actions (login required)

View Item View Item

Downloads

Downloads per month over past year

View more statistics